Categorias
Blog Coluna de Raycia Lima

Escrever para internet vai além de estar com a gramática em dia

Por Raycia Lima

Para editores e escritores da web, desde aqueles que escrevem apenas para transmitir informações àqueles que redigem com o intuito comercial, conhecer e interpretar o usuário ainda é um grande desafio.

Na internet, a escrita pode acertar o que o leitor procura ou pode ocorrer o contrário: desestimulá-lo a acessar o seu site e ainda fazer com que ele saia falando mal, gerando menos visitantes.

LEIA TAMBÉM
Comunidade WordPress São Paulo procura colunistas

A facilidade que o WordPress propõe aos seus usuários, devo salientar que deixa nós, escritores, muito mais à vontade, já que fornece ferramentas importantes para o nosso trabalho. Entre dezenas de recursos da plataforma, temos o Gutenberg. Composto por blocos, o editor nos ajuda a perceber visualmente se o texto tem legibilidade.

Plugins poderosos como, por exemplo, o Yoast SEO, também são grandes aliados para escritores que usam WordPress como ponte para ganhar visibilidade digital. Além de sinalizar se a quantidade de texto é boa ou ruim para os motores de busca, a ferramenta auxilia na indexação. Mas não se engane, escrever em meios digitais vai muito além de normas de H1 e H2 ou de truques do Yoast SEO.

Atualmente, na composição de um projeto online em que será necessário algum tipo de texto, a primeira coisa que devemos levar em consideração é a relevância desse conteúdo. As palavras usadas literalmente são as chaves para o sucesso.

Por experiência própria, o uso de palavras que estão em alta em determinado momento pode fazer o seu site alavancar nas páginas de busca, gerando cada vez mais acessos em um curto espaço de tempo. Ou seja, você pode atingir o objetivo de tráfego de um mês em algumas horas por causa das famosas palavras-chaves.

Um método que costumo usar antes de escrever é ver quais termos estão em alta no Google Trends e quais são os assuntos mais falados no Twitter. A partir disso e sem esquecer da coesão, tento encaixar essas palavras. Esse esforço ajuda muito e rende resultados já que esses sites nos dão dicas claras e diretas sobre os assuntos mais relevantes para grande parte dos usuários da web.

Pense também que as pessoas estão em meios digitais porque buscam agilidade, então SEMPRE procure ser direto, exceto em assuntos que necessitem de explicações mais detalhadas. Não deixe que temas relevantes se tornarem os famosos “textões”, que acabam gerando rejeição porque você enrolou muito para tratar do que realmente importa.

Para aqueles que trabalham com textos comerciais, a oferta e o ponto fraco do leitor têm que ficar claros desde o primeiro momento. Comece falando da dor do seu público-alvo e termine apresentando o seu produto ou serviço. Lembre-se, as pessoas que navegam na internet querem textos que apresentem soluções rápidas e simples.

+ TEXTOS DA COLUNA DE RAYCIA LIMA

Como temos observado nos últimos anos nas redes sociais, o dom da escrita existe em muita gente. Porém, fazer isso rentabilizar ou ganhar grandes proporções já é outra história.

Saber escrever para internet vai além de estar com a gramática em dia. É saber que tudo faz referência ao agora, o que importa agora para a sociedade, o que importa agora para aquele nicho de leitores. A palavra de ordem é o agora para nós, escritores da web.

*

Raycia Lima — Radicada na capital paulista, a jornalista é de Triunfo (PE). Formada pela Universidade Anhembi Morumbi, Raycia, 25 anos, utiliza o WordPress desde 2017. Em 2019, assistiu aos WordCamps (SP) São Paulo e Florianópolis (SC).


O conteúdo desta coluna não reflete, necessariamente, as opiniões da comunidade WordPress São Paulo.

Deixe uma resposta